• Direito Inovador

Direito disruptivo - Como a tecnologia vai revolucionar o Direito

Desde o surgimento da computação propriamente na década de 50, sonha-se com uma sociedade onde as máquinas auxiliarão as atividades humanas a se tornarem mais efetivas. Liberando o ser humano das tarefas repetitivas, exaustivas e pouco produtivas. Eis que chegamos nessa fase da nossa evolução como civilização. As máquinas estão alcançando poder computacional e capacidade de interfacear as demandas de modo que, nós humanos, possamos nos concentrar nas resoluções de tarefas que as máquinas ainda não são capazes de empreender.


E isso já está acontecendo no Direito. Para sorte de uns e azar de outros. Para os pessimistas e desesperados, a imagem de uma sociedade baseada em softwares e inteligências artificiais, onde uma inteligência robótica seja capaz de dominar os seres humanos e tomar decisões que possam inclusive nos pôr em perigo, é inevitável e condenará todos os humanos à inutilidade. Está visão alarmista é somente uma representação exagerada de algo que nos remete a famosa SkyNet, do filme Exterminador do Futuro. Nesse aspecto, estamos muito distantes dessa realidade; as máquinas atuais não são nem capazes de tomar decisões sozinhas, que dirá nos exterminar.


Para os otimistas, as tecnologias disruptivas existem e já estão ‘exterminando’ as tarefas enfadonhas, e preparando o terreno para extermínio de alguns aspectos da profissão. Naturalmente, falando aqui sobre Direito Inovador, no futuro o trabalho do advogado não será exatamente extinto, mas transformado por completo.


Diversas áreas e mercados foram, recentemente, completamente revolucionados pela tecnologia. Algumas profissões foram inclusive exterminadas. Os futuristas - profissionais que estudam como o mundo vai ser no futuro - apontam que a profissão do advogado é uma das 10 que mais serão transformadas. Muitas profissões já consolidadas, como a de motoristas - com o advento dos carros autônomos - e até mesmo o de contador, também serão transformadas.


O direito opera sob a égide dos dados. Advogados lidam com quantidades imensas de informações que se somam e se locupletam, criando e alterando cenários constantemente. A Internet trouxe a criação de dados para o centro do nosso dia a dia, visto que passamos o dia lendo e escrevendo nas telas dos nossos celulares e eventualmente nas telas dos nossos computadores. Então, eis que chegamos ao ponto onde a tecnologia impactará o Direito: no processamento de grandes quantidades de dados.


Nesse momento, em que muitas decisões são completamente influenciadas por dados, e especialmente pela forma como são lidos e apresentados, vemos disciplinas como o Legal Design e o Visual Law emergindo. A transformação já está em curso, e todas essas tecnologias ou métodos de desenvolvimento disruptivo irão se somar e criar produtos que revolucionarão a vida do advogado no século XXI.


Pense! Já usamos a tecnologia diariamente nas palmas das mãos, para comprar ingressos de cinema, reservas em hotéis, perguntar sobre o tempo e tantas outras coisas das quais hoje não conseguimos imaginar como viveríamos sem. Partindo assim dessa premissa, vamos extrapolar esse pensamento e imaginar todo esse arsenal de tecnologia a serviço do Direito? Onde essas tecnologias e a Ciência de Dados entrarão na vida do advogado? Sobre isso falaremos no nosso próximo artigo!